sábado, 24 de outubro de 2009

Excelente matéria da Rede Record sobre o factóide Folha de São Paulo

Excelente matéria da Rede Record sobre o factóide Folha de São Paulo

Excelente matéria da Rede Record sobre o factóide Folha de São Paulo

Excelente matéria da Rede Record sobre o factóide Folha de São Paulo

NOSSOS GÊNIOS

O GÊNIO DO BRASILEIRO.

Essa música já deve estar se aproximando dos 70 anos ou mais, e ainda permanece viva e atraente de várias formas. Esta forma que se observa neste vídeo é mais uma das grandes supresas da genialidade do artista nacional.

Já vi outro vídeo em que o Tico Tico no Fubá também tocada por uma menina japonesa, que não tinha mais que 10 anos, executando de forma bilhante e envolvente.

Parabéns, GÊNIOS BRASILEIROS!



video

E NOMALMENTE SÃOS OS QUE MAIS RECLAMAM DE GOVERNOS

publicado em 22/10/2009 às 15h00:
Veja os primeiros resultados da “Operação Mansões”
Receita Federal já realizou ações em Jundiaí, Bauru e São José do Rio Preto

Do R7Texto: A Receita Federal já tem alguns resultados da “Operação Mansões” em Jundiaí, Bauru e São José do Rio Preto.

A operação prevê a convocação de 10 mil proprietários de obras de construção civil de alto padrão, localizadas principalmente em condomínios fechados e balneários do Estado de São Paulo, para cobrar o recolhimento das contribuições previdenciárias incidentes sobre o total dos salários dos trabalhadores empregados nessas edificações. O valor devido à Seguridade Social é estimado em R$ 1,5 bilhão.

A unidade da Receita Federal em Jundiaí, que já concluiu a fase de intimação dos contribuintes, obteve como resultado a regularização espontânea – sem abertura de ação fiscal – com recolhimento da contribuição de 85% das obras inicialmente selecionadas.

Na região de Bauru, o recolhimento previdenciário atingiu R$ 4,8 milhões e está programada a notificação de 17 obras com área construída acima de 2 mil metros quadrados.

Em São José do Rio Preto, a Delegacia da Receita Federal realizou, no primeiro semestre, levantamento aéreo em regiões de condomínios fechados, com auxílio do helicóptero da Receita empregado nas ações de combate ao contrabando e descaminho.



Receita cobra impostos de donos de mansões em SP

sexta-feira, 23 de outubro de 2009

BREVE, MUITO EM BREVE. EM TODO O BRASIL.

Breve em todo o Brasil. Espera-se 20 milhões de pessoas a assitirem esse filme, segundo os produtores.


ASSIM COMO CÁ, LÁ É AINDA PIOR OU IGUAL?


Sexta-Feira, 23 de Outubro de 2009
Colunistas
Home > Colunistas
23/10/2009 - 05h00

Contra Lula ou Obama, a mídia delira

“Acontece agora uma radicalização aberta, um embate em que a mídia dominante não tem mais espaço para esconder os interesses que representa, nem vergonha em se desfazer duma neutralidade que nunca existiu”
A convivência do governo Lula com a grande mídia não tem sido nada fácil. Desde 2002 já se vão sete anos, e os ataques são tão constantes, tão previsíveis e sempre absurdamente os mesmos que já nos acostumamos a pular cotidianamente tais partes, botando sob suspeita simplesmente TUDO o que ela declara – tantos foram os exageros e desmentidos e besteiras e alucinações – enfim, o delírio que a direita elevou à categoria política. Previsivelmente, o governo democrata de Barak Obama recentemente foi atacado massivamente pelos ultra-radicais da direita norte-americana, contrária à reforma de saúde proposta por ele, tendo à frente o grupo Fox. Aliás, a nossa mídia saturou-se desse assunto esta semana, inclusive capa de Carta Capital: “A vida de Obama não tem sido nada fácil etc.” Lula que o diga, veterano dessa merda há sete anos.Mas a defesa do livre mercado na saúde nos EUA é só a ponta do iceberg do ataque midiático. Embaixo se entrelaçam o fanatismo e o dinheiro da direita republicana, dentro e fora da mídia. Sua meta é desconstruir e imobilizar o sucessor de Bush. Não há muita diferença entre o que se passa nos EUA e a divisão de trabalho observada no Brasil, onde as rádios chutam o governo Lula abaixo da linha da cintura, os jornalões desgastam e “denunciam”, enquanto a Globo faz o seu habitual antijornalismo destinado a um público pretensamente e inteiramente constituído de idiotas. Conforme observou Saul Leblon em Carta Maior, a repetição dos mesmos métodos e argumentos duma histérica mídia neoconservadora no mundo todo parece indicar um fenômeno de recorte histórico global. O fato é que o conservadorismo está encurralado após o fracasso econômico e político neoliberal. A falência dos mercados financeiros desregulados na maior crise do capitalismo desde 1930 já é reconhecida como um novo divisor histórico. Corroído na base de sua legitimidade pela falência de empresas, famílias e bancos, sem contar o recrudescimento do desemprego e da insegurança alimentar – inclusive nos países centrais –, o conservadorismo vê sua base social derreter. A radicalização do seu ‘braço midiático’ soa como uma tentativa derradeira de reverter o processo ainda nos marcos da democracia, desqualificando o adversário formado por partidos e governos progressistas. A radicalização é proporcional à ausência de um projeto conservador, uma vez que os neocon não têm, nem nunca tiveram, nada a oferecer à sociedade. O fato é que acontece agora uma radicalização aberta, um embate em que a mídia dominante não tem mais espaço para esconder os interesses que representa, nem vergonha em se desfazer duma neutralidade que nunca existiu, mas da qual sempre se considerou guardiã para descartar a democratização efetiva dos meios de comunicação. A isenção já não pode sequer ser simulada. Então vale assinalar as declarações à imprensa de Anita Dunn, diretora de Comunicações do presidente norte-americano, em resposta aos ataques recentes ao governo Obama: "A rede Fox está em guerra contra Barack Obama. Não precisamos fingir que o modo como essa organização trabalha é jornalístico. Quando o presidente fala à Fox, já sabe que não falará à imprensa propriamente dita. O presidente já sabe que estará debatendo com um partido da oposição. Rupert Murdoch tem talento para fazer dinheiro, e eu entendo que sua programação é voltada a fazer dinheiro. Só o que argumentamos é que seus veículos não são um canal de notícias de verdade. Não só os âncoras, mas a programação toda. Não é notícia de verdade, mas é a pregação de um ponto de vista. E nós vamos tratá-los assim". No caso dos EUA, um país essencialmente conservador e racista, pode-se argumentar que não há grande surpresa nos ataques da Fox & cia. a um presidente negro e democrata. O que surpreende é Obama estar reagindo e com munição pesada. Mas nem tanto, afinal não foi exatamente devido a esta estratégia que ele ganhou as eleições, degradação global dos neocon à parte, funcionando como “colaboradores involuntários e a despeito de si próprios”?É verdade que mediante a divulgação de coisas como “temos um presidente ilegítimo. Um presidente que vai acabar com a América e os americanos. Chegou o momento de agir, abaixo o governo” (panfletos distribuídos por manifestantes); “cada dia ganha mais peso a possibilidade de que os militares tenham que intervir como último recurso para solucionar o problema Obama”, escreveu o colunista do site Newsmax, fórum de encontro de extremistas na internet (na rebelião contra a reforma da saúde confluíram dezenas de organizações conservadoras, desde o Clube para o Crescimento, o Instituto para a Empresa Competitiva, até o obscuro Centro para os Direitos Individuais Ayn Rand), os serviços secretos dos EUA começaram a levar o assunto muito a sério e iniciaram uma investigação sobre uma pesquisa criada na rede social Facebook, na qual se perguntava se Obama deveria ser assassinado! (sic)Como presidente dos Estados Unidos, Obama é o homem mais poderoso do mundo, sua reação foi até amena, razoável e diplomática, mediante o que já fizeram e disseram seus antecessores. E por muito menos.


fonte: Congresso em foco.

ESTÃO FINGINDO QUE TUDO ESTÁ BOM NA OPOSIÇÃO.


Oposição em queda

Rosa dos Ventos - Mauricio Dias
Carta Capital - 20/10/2009



A eleição presidencial de 2010, a sexta que se realiza após o ciclo da ditadura, talvez seja a primeira com destaque incomum para a escolha dos representantes no Congresso que, de fato, expressa a soberania popular. Lá, desde o fim dos anos 1990, o voto tem marcado o progressivo abandono do eleitor dos apelos dos mais tradicionais partidos conservadores, gêmeos quase univitelinos – o PSDB e DEM – em oposição a um crescimento constante das facções da esquerda, identificada com o interesse da população mais pobre. Notadamente, neste caso, o PT. Em oito anos, o DEM, herdeiro do PFL, perdeu quase a metade dos deputados. Em 2006 elegeu 65 deputados. A perspectiva eleitoral do próximo ano afugentou mais gente do partido e ele tem, hoje, 58 representantes. Também em queda sucessiva, os tucanos saíram de 99, em 1998, para 65, em 2006. Essa fase marca a derrota dos candidatos do PSDB à Presidência, José Serra, em 2002, e Geraldo Alckmin, em 2006. Os números indicam que a ênfase na eleição do Congresso não se dá especialmente por razões de ordem moral, pregada ultimamente por duvidosos arautos da ética. Talvez seja mais certo apostar na crescente identidade da população com as propostas de conteúdo mais social e de inspiração mais nacionalista. É no confronto político travado no Congresso que a cobra fuma. Não por acaso, o golpe de 1964 também se deu quando a composição da Câmara dos Deputados, na eleição de 1966, poderia tornar-se majoritariamente de centro-esquerda, naquela época capitaneada pelo PTB, por Jango e Brizola, sob a inspiração de Getúlio Vargas. O PTB abrigava, também, os representantes da esquerda comunista, cujos partidos ainda eram ilegais. A mesma tendência eleitoral percebida nas eleições para a Câmara ocorre nas eleições para as prefeituras municipais. Nas últimas três competições, para a chefia dos mais de 5,5 mil municípios brasileiros, tucanos e pefelistas, descem a ladeira. De nada adiantou ao PFL, que sustentava a ditadura, adotar o nome de fantasia Democratas (DEM), em 2007. O fracasso eleitoral dos dois partidos é gritante. Ela vai da façanha eleitoral do PFL em 2000, quando conquistou mais de mil prefeituras, para o insucesso do DEM, em 2008, quando ficou com apenas 495. Porcentualmente isso expressa mais de 40%. Para o PSDB, a perda das prefeituras é ainda maior. Em 2000, após seis anos de administração Fernando Henrique Cardoso, os tucanos se aproximaram da conquista do PFL: 989 prefeituras. Em 2008, o número baixou para 779. Queda notável. O que os aguarda em 2010? Os dois partidos já tentaram a maquilagem e não deu certo. Agora buscam uma cirurgia plástica. Os tucanos, inspirados por Fernando Henrique Cardoso, presidente de honra do partido, editaram milhares de exemplares de uma revista em que invocam a autoria da legislação social de Lula. Tentativa bizarra, na velha, e não na nova, acepção do termo. O DEM, para se livrar do passado, escolheu um jovem parlamentar na presidência (o deputado Rodrigo Maia) e anunciou que quer se livrar do estigma de partido de direita. Por isso vai apregoar o compromisso de manter os programas sociais do governo petista. PSDB e DEM vão para um processo de canibalização um ao outro na disputa de eleitores. Não há votos suficientes no País para sustentar dois partidos de direita

quinta-feira, 22 de outubro de 2009

QUANDO É CONTRA É GOLPE?

Mas que ingratidão, o Jornal Nacional esqueceu de FHC?
Não isso não pode ser, afinal se hoje temos direito de reelegermos nossos Presidentes da República, foi o Fernando Henrique que mandou para o Congresso esse Projeto.

Mas, Ortega por acaso não pediu apoio e a Corte Suprema daquele país que aprovou?Claro que aprovou. O estranho que para alguns países nossa midia do contra diz que é golpe, mas e a do nosso Fernandino, o que foi então?

O pessoal do JN dirá que não foram eles que disseram "golpe", mas sim a oposição entrevistada. Fácil de se dar uma noticia de forma estranha e depois esquecer do nosso inventor de reeleição, o nosso FHC.




quarta-feira, 21 de outubro de 2009

DEM E PSDB, ALIANÇA DUVIDOSA.

ELES ESTÃO SE ENTENDDO? (PSDB & DEM).

Nos post anterior, quando anexei um entrevista do Presidente do DEM, o deputado Rodrigo Maia, numa clara simpatia, deu a entender que de todos do DEM pelo governador Aécio Neves.
Se não fossem dois partidos “aliados”, da forma que foi posta pelo Presidente Rodrigo Maia, até que se poderia dizer que demonstram mais serem “dois contendores”, com divergências mais sérias do que se imagina e que estão escondidas atrás da cortina, prestes a entrarem no palco e se isso ocorrer com certeza essa falsa aliança se romperá.

Quanto ao Presidente do PSDB, é aquele que gosta de jogar com as palavras, ao dizer que até o final do ano se resolverá a situação entre os dois candidatos e que se houver necessidade de prévias essa se realizarão lá pelo mês de janeiro do próximo ano, ou até mesmo em fevereiro e o lançamento da candidatura por volta de abril.
(Afinal, isso não estar em cima do muro?)

Pelo que se observa são declarações do tipo: deixa a coisa andar para ver como é que fica. Mas, cada dia que se passa parece que seus aliados (DEM), vão ficando mais apreensivos.
Na minha modestíssima opinião, esse casamento continuará por falta completa de opção de ambos os lados. Deixaram a coisa tomar um vulto, pela falta de definição, que o casamento continuará com todos os ressentimentos,

Essa história marcada de que os dois candidatos são governadores e por isso estão trabalhando, é uma forma de colar nos seus adeptos uma visão de que não estão fazendo política, ainda. Pura grosseria com a inteligência dos outros.

De resto o senador Sérgio Guerra divaga sobre outros candidatos, como Dilma e Ciro Gomes, tudo no sentido de desviar as atenções dos graves problemas dessa aliança que me parece estar fora dos trilhos.

Mas no fundo foram duas entrevistas ainda água com açúcar, publicadas pelo jornalão do Rio, mas o fato é que o ambiente entre os dois partidos não está mesmo em “céu de Brigadeiro”, como se imaginava um pouco, disse um pouco, pois já havia uma demonstração mais clara como ficou agora, depois das entrevistas de Rodrigo Maia e Sergio Guerra.

Pedro Bueno.
21/10/2009

http://buenomuybueno.blogspot.com/

http://oquepensabueninho.blogspot.com/

segunda-feira, 19 de outubro de 2009

ESSE É O GOVERNO SERRA!!!

JORNAL FLIT PARALISANTE
POLÍCIA SEM CERIMONIAL
JOSÉ SERRA GANHA ANISTIA DE R$ 15 BILHÕES PODENDO CONCEDER AUMENTO PARA A POLÍCIA
com 2 comentários

SP consegue perdão de dívida de R$ 15 bi com o INSSSáb, 13 Set, 05h05A União concederá uma anistia de R$ 15 bilhões ao Estado de São Paulo referentes a uma dívida com o Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS).
Em troca, o governador José Serra reconhecerá um débito com o órgão de cerca de R$ 400 milhões.
O perdão da dívida acabará com uma disputa judicial de anos.
O Estado contesta no Supremo Tribunal Federal (STF) a cobrança da contribuição previdenciária de quase 200 mil servidores contratados pelo governo paulista desde 1974. São Paulo contratava estes servidores em caráter temporário sem recolher o INSS.
Os funcionários eram contratados sempre em janeiro e demitidos em dezembro. Mas o INSS entendeu que era um serviço de natureza permanente e que estes servidores deveriam recolher a contribuição.
O acordo abre espaço para que o governo de São Paulo possa realizar novos empréstimos externos e elevar o seu limite de endividamento, o que ameaçava a realização de obras.
Segundo uma fonte do governo, a vantagem para a União, que já considerava a dívida perdida, será o reconhecimento de um débito de R$ 400 milhões referentes à contribuição previdenciária de uma pequena parte dos 200 mil servidores.
O acordo foi negociado diretamente entre o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o governador José Serra.
A disputa entre União e São Paulo foi iniciada pelo então governador tucano, Mário Covas, que entrou com uma ação contra o governo federal – na gestão do também tucano Fernando Henrique Cardoso, questionando a cobrança da dívida.
Em junho deste ano, São Paulo conseguiu no STF uma medida liminar que impediu a União de inscrever o Estado no Cadastro Informativo de Créditos não Quitados do Setor Público Federal (Cadin) em função dos débitos com o INSS.
Por unanimidade, os ministros confirmaram liminar concedida pelo ministro Joaquim Barbosa – relator do processo – por entender que a incerteza da dívida, enquanto submetida ao Judiciário, não autoriza a inscrição em cadastro de inadimplentes.

SERRA SERIA UMA MÚMIA?

SERRA SERIA MESMO UMA MÚMIA?

Pelo que se leu neste domingo, 18 de outubro no “jornalão de Serra”, do Rio de Janeiro, pelas declarações do Presidente do DEM, dá a entender de que Serra é o típico do político que usa de outras formas para não sair de cima do muro de Berlim, apesar de que este já foi derrubado, se não me engano há 20 anos.

Diz Rodrigo Maia, presidente do DEM, que “Aécio Neves é melhor que Serra para ser o candidato da oposição”, mas que rejeita uma candidatura “puro sangue”. Maia cobra, também, definição de uma candidatura até o final deste ano de 2009. Para ele, a estratégia de não ir para o confronto com Lula, Aécio é o melhor candidato. Diz que deixar para março de 2010 a definição de uma candidatura pode ser tarde demais.

Pelas palavras de Rodrigo Maia, dá entender o que descobriram muito tarde em 2006, quando foi um grande período em que a oposição batia minuto a minuto em Lula, e quanto mais isso ocorria, mais Lula subia nas pesquisas, o que ainda ocorre até hoje. Lula tem hoje, 81% de aceitação dos brasileiros e isso dividido em todas as classes sociais.

Como Serra já entrou vem vez ou outra dando umas “cutucadas”, sendo que Aécio pouco menos, penso que para Rodrigo Maia, Aécio tem mais crédito em ser um pouco perdoado pelos que admiram e gostam do Presidente Lula. Mas, não é bem assim, pois Aécio já tem algum débito com Lula, que já o ajudou em muitos casos meio que difíceis para a economia mineira. Certa vez ele disse que o governo nada havia ajudado Minas e teve uma dura resposta da substituta da Ministra Dilma, mostrando o quanto de ajuda Minas havia recebido do governo Lula. Depois disso nada se falou.

Mas o que estamos estranhando é que há bem poucos meses a oposição já dava como favas contadas a eleição de Serra em 2010, parecendo que já estavam mais preocupados com o Cerimonial de Posse, do que outra coisa. Mas, acho que algo está meio que fético atrás da cortina desses dois aliados oposicionistas.

Pedro Bueno
19/10/2009
http://oquepensabueninho.blogspot.com/

http://buenomuybueno.blogspot.com/

GOVERNO DE SÃO PAULO INCHA A MÁQUINA PÚBLICA. COM NOVOS FUNCIONÁRIOS.

Da coluna do Josias - Folha.

Em matéria de pessoal, o princípio seguido pelo PSDB em São Paulo, principal vitrine do partido, baseia-se num velho lema: "Faça como eu digo, não como eu faço".

Crítico contumaz da polícia funcional expansionista adotada por Lula na esfera federal, o tucanato mimetiza o presidente em São Paulo.

Deve-se a comparação ao repórter Gustavo Patu. O cotejo de dados resultou em reportagem pendurada na manchete da Folha desta segunda (19).

Apurou-se o seguinte:

1. Desde 2003, máquina do Executivo de São Paulo ganhou 33 mil novos servidores ativos. Nesse período, o Estado foi gerido pelos grão-tucanos Alckmin e Serra.

2. Considerando-se os três Poderes do Estado, as despesas com o funcionalismo de São Paulo foram tonificadas por reajustes dados às principais carreiras.

3. Incluindo aposentados e pensionistas, a conta anual da folha salarial de São Paulo subiu 19%. Em 2008, bateu em R$ 43,1 bilhões.

4. O repórter deparou-se com diferenças metodológicas que dificultam a comparação precisa entre a política de pessoal do PT-Brasília e do PSDB-SP.

5. A despeito disso, verificou-se que não há divergência na linha seguida por Lula e pela dupla Alckmin-Serra.

6. Sob Lula, interrompeu-se o processo de enxugamento de pessoal que Collor iniciara e que FHC aprofundara.

7. Desde que tomou posse, em 2003, Lula elevou em 12% o quadro de servidores ativos do Executivo. Em julho passado, os funcionários eram contados em 548,2 mil.
8. Tomado pelo boletim estatístico do governo de São Paulo, o crescimento do quadro de servidores do Executivo paulista foi de 14%.

9. O tucanato alega que o critério de quantificação foi modificado em 2007. Guiando-se pela nova metodologia, a gestão Serra diz que a elevação foi de 5%.

10. Depois de escarafunchado pelo repórter Patu, o boletim dos 14%, que se encontrava disponível no sítio mantido pelo governo de São Paulo na web, sumiu.

11. A assessoria de imprensa da Secretaria de Gestão Pública de Serra atribuiu o sumiço à necessidade de rever os dados e uniformizar os critérios.

12. Na União, as despesas com pessoal são computadas com metodologias distintas das adotadas em São Paulo. A despeito disso, a comparação é incontornável.

13. Considerando-se os três Poderes federais –Executivo, Judiciário e Congresso–, a elevação dos gastos foi, sob Lula, 30% acima do IPCA. Bateu em R$ 144,5 bilhões.

14. Tomando-se apenas os gastos com o Executivo, a diferença entre Lula e Alckmin-Serra é praticamente inexistente: até 2008, 15% na União e 14% em São Paulo.

15. São Paulo e Brasília igualam-se também nas desculpas. Os governos federal e paulista alegam que o funcionalismo não cresceu a esmo.

16. O secretário de Gestão Pública de Serra, Sidney Beraldo, diz que, em São Paulo, o crescimento do quadro beneficiou especialmente as áreas de educação e segurança pública.

17. O secretário de Gestão do Ministério do Planejamento de Lula, Marcelo Viana de Moraes, informa:

Na seara federal os setores que mais ganharam novos servidores foram –tchan, tchan, tchan, tchan...— educação e segurança.

18. Submetido a essa coleção de dados, o poeta Gonçalves Dias talvez dedicasse um verso aos tucanos que alfinetam Lula no Congresso sem olhar para o bico grande de São Paulo:

As aves que aqui gorjeiam, não gorjeiam como lá”.
Escrito por Josias de Souza às 05h00

NÃO ESTÃO NEM AÍ 29.81%

Participe
Resultado
Total de votos: 1117
O PSDB só lançará seu candidato à sucessão de Lula (José Serra ou Aécio Neves) em março de 2010. Você:
·

* aprova a idéia; 33.12%
· * acha que o lançamento deveria ser antecipado; 35.27%
· * não está nem aí para o que o PSDB vai fazer; 29.81%
· * não tem opinião; 1.79%

Eu:
Preocupante o resultado dessa enquete, visto que 29.91% não estão nem aí se o PSDB deve ou não lançar seu candidato em março de 2010.
Será que já inicia o caminho da verdade na própria imprensa do contra, que não se importa mais de fazer indagações e ao mesmo tempo divulgá-las, diferentemente como há bem pouco tempo?
Fonte: Coluna do Noblat.

Pedro Bueno.

domingo, 18 de outubro de 2009

BOLSA FAMILIA E A ESCOLA.



Comunicação Social da Presidência da RepúblicaNº 912 -


Brasília, 16 de Outubro de 2009
Bolsa Família contribui para o crescimento da escolaridade no Brasil
Meio milhão de jovens e adultos beneficiários do Programa Bolsa Família - do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS) - ou que estão no Cadastro Único foram alfabetizados em 2006 e 2007. O percentual de pessoas cadastradas atendidas por programas de alfabetização aumentou de 21,9%, em 2006, para 33,8% em 2007. A articulação do MDS com o Programa Brasil Alfabetizado (PBA), do Ministério da Educação, possibilitou que essas pessoas iniciassem os estudos ou voltassem às salas de aula, uma ação fundamental para aumentar as oportunidades de inclusão social, produtiva e cidadã da população pobre. Os dados evidenciam a contribuição do Bolsa Família para o crescimento da escolaridade no Brasil. Dos 536.289 alfabetizados no período, 379.465 são atendidos pelo programa de transferência de renda do governo federal. A parceria entre os ministérios e os municípios está reduzindo o analfabetismo entre a parcela mais pobre da população. Em Belo Horizonte (MG), a beneficiária Renata Rodrigues da Silva, de 26 anos, está no grupo que voltou à escola neste ano. Pressionada pelo pai, ela parou de estudar aos 10 anos, ainda quando morava no município de Santa Maria do Suaçuí (MG). Mudou-se para BH, teve uma filha e acabou indo morar na rua. Foi acolhida por uma família que ofereceu o barraco dos fundos para Renata morar - já então com três filhos.Atualmente, a renda da família de Renata é o Bolsa Família. Às vezes, ela trabalha como diarista, mas não tem com quem deixar os filhos. Ela cursa a 2ª série do Ensino Fundamental. “É muito bom voltar a estudar. Não sabia escrever o nome da minha filha”, diz. Renata quer ter uma profissão no futuro. “Se a gente não tiver estudo não é nada. Não posso fazer os cursos que estão dando aí, porque não sei ler”, reconhece. Além de transferir renda a 11,9 milhões de famílias, o Bolsa Família promove a inclusão dos beneficiários em ações complementares a fim de desenvolver suas capacidades. Dentre elas, está o programa de microcrédito do Banco do Nordeste do Brasil (BNB) que emprestou, entre janeiro e maio deste ano, R$ 215 milhões a 225 mil beneficiários. Há também a qualificação profissional, com o programa Próximo Passo, em parceria com o Ministério do Trabalho e Emprego (MTE). Essas iniciativas abrem novas perspectivas de vida para milhares de brasileiros que viviam à margem das políticas públicas. Compromisso com a educação - A ligação do Bolsa Família com a educação está no desenho do programa. Os beneficiários precisam manter os filhos na escola e cumprir a agenda de saúde. O objetivo é estimular o acesso da população pobre aos serviços básicos de educação e saúde para melhorar as condições de vida desse público. Análise do Bolsa Família, da Secretaria Nacional de Renda de Cidadania do MDS, aponta que o Nordeste - região com os maiores índices de analfabetismo (24% dos beneficiários) - está investindo mais na educação de seus habitantes. A região responde por 88% dos beneficiários alfabetizados nos dois anos.Programa inclui novos beneficiários - Outubro vai ser um mês especial para 500 mil famílias pobres de todo o País. A partir desta segunda-feira (19/10), elas começam a receber os benefícios do Bolsa Família, programa do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS). A inclusão dos novos beneficiários faz parte da expansão do Programa, que cumpre a última etapa prevista para 2009. A ampliação foi planejada para atender a estimativa feita pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) com base no Mapa de Pobreza. A expansão começou em maio, quando foram beneficiadas 300 mil novas famílias. Em agosto, outras 500 mil passaram a fazer parte do Programa. No total, 1,3 milhão de novos domicílios foram incluídos no Bolsa Família que já atende atualmente a 11,9 milhões de lares. A expectativa do MDS é chegar 12,9 milhões de famílias em 2010.

BRIGA FEIA TV E FUTEBOL...



CBF quer mudar o horário de partidas do Brasileirão (17/10)
Agência Estado
Com o prestígio em alta, trânsito livre no Palácio do Planalto e no Congresso Nacional, cortejado por ministros, governadores e prefeitos, o presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e do Comitê Organizador da Copa do Mundo de 2014, Ricardo Teixeira, está disposto a enfrentar uma de suas maiores aliadas nos últimos anos, a TV Globo. Em entrevista na sede da CBF, na quinta-feira, o dirigente deixou clara a intenção de antecipar para as 20 horas o início de jogos de meio de semana do Campeonato Brasileiro de 2010.
Atualmente, em geral, partidas de maior importância começam às 21h50, nas quartas-feiras, para agradar à emissora. Teixeira vai além e propõe que eventual mudança no calendário seja analisada de forma “séria e detalhada”. Ele se diz favorável à adaptação ao calendário europeu e defende o sistema de pontos corridos, desde 2003 usado no torneio nacional.
“Como presidente da CBF não posso só ficar preocupado com índice (de audiência) de TV. Tenho de ficar preocupado com o torcedor no estádio também. Não adianta fazer jogo com estádio vazio”, disse Teixeira, presidente da entidade desde 1989 e que, portanto, teve 20 anos para fazer mudanças.
A relação da CBF com a emissora vive momento de crise. Ambos os lados negociam a renovação do contrato para a transmissão dos jogos da seleção e uma das hipóteses que a Agência Estado apurou é a de que a CBF faça acordos pontuais - por exemplo, um jogo por vez. A Rede Globo, por meio de sua assessoria, informou que vai seguir a decisão da CBF. A emissora também se limitou a adiantar que estudará a sugestão de adaptação do futebol local ao calendário europeu.